Marca Maxmeio

Página inicial » Notícias
19 de setembro de 2017

Cenário atual da Copa Davis

Zonal das Américas será palco de uma disputa acirrada por duas vagas na repescagem da Copa Davis em 2018 com a queda da Argentina, atual campeã da competição, que perdeu para o Cazaquistão por 3 a 2. Após cair para o Japão por 3 a 1 na madrugada desta segunda, o Brasil voltou ao zonal em 2018 e terá um caminho mais longo na briga pelo Grupo Mundial. Apesar de sair como cabeça de chave 2, o time brasileiro não terá direito a "bye" e precisará vencer dois confrontos no Zonal, um em fevereiro e o outro em abril, algo que não acontecia desde 2006. Os times que podem enfrentar o Brasil são Colômbia, Chile, Equador, República Dominicana e o vencedor do confronto entre Venezuela e Barbados. O capitão do Brasil na Copa Davis analisou a derrota e demostrou otimismo quanto ao futuro do país no torneio.

- Na Copa Davis, quando você joga nesta época do ano como time visitante, nunca é fácil viajar. E nós jogamos na quadra dura, o piso rápido que não é nosso favorito. Acho que nossa preparação foi boa, os jogadores arranjaram seus calendários para se prepararem bem, mas a repescagem sempre é difícil. Nós esperamos fazer melhor no futuro - afirmou Zwetsch.

A última vez que a América do Sul não teve representantes na elite do tênis na competição foi em 1996. A Argentina sairá como principal cabeça de chave no Zonal e será o único país das Américas a precisar vencer apenas um confronto para classificar para a repescagem, em setembro de 2018. Como são os países mais bem ranqueados na região pela Copa Davis, Argentina e Brasil não se enfrentam no Zonal Americano. O fim de semana também definiu os oito países que voltaram ao Grupo Mundial: Alemanha, Canadá, Cazaquistão, Croácia, Holanda, Hungria, Japão e Suíça. Nas semifinais, França e Bélgica garantiram vaga pela decisão e lutam pelo título, em novembro.